Conheça agora o remédio para parar de usar drogas – IBOGA

Novo remédio para parar de usar drogas. Ibogaína

A Ibogaína é um remédio retirado de uma raiz Africana utilizado para parar de usar drogas derivado do caule da raiz de uma planta originária da África, conhecida como iboga. O derivado da raiz africana é um alcaloide indólico psicoativo, usado há milhares e milhares de anos pelos nativos, sendo mais conhecida como iboga ou eboka.

A planta africana, de forma natural, apresenta em média 12 alcaloides diferentes, havendo também a taberna tina ou a ibogaína, que também mostraram ser psicoativos, ou seja, que atuam diretamente no cérebro.

A ibogaína é um remédio excelente para parar de usar drogas que vem sendo utilizado há algumas décadas, oferecendo meios para o tratamento da dependência de drogas de forma definitiva para alguns pacientes.

A planta vem sendo analisada e estudada por diversos pesquisadores e os estudos e relatórios constataram que uma única administração da ibogaína consegue eliminar todos os sintomas de abstinência física e psicológica de drogas e álcool, reduzindo muito no paciente a vontade de usar essas substâncias por muito tempo depois do tratamento realizado.

A diferença entre esse remédio para parar de usar drogas e outros é que suas propriedades psicoativas naturais ajudam o dependente químico a entender e reverter o seu próprio comportamento com relação às drogas, através da indução de um estado de sonho que tem a duração de horas.

Para saber mais e agendar a sua visita nas nossas clínicas de recuperação que tratam com Ibogaína ligue para: (11) 98467-8116 ou envie uma mensagem para o nosso Whatsapp 24 horas.

Como funciona o remédio para parar de usar drogas – iboga

A ibogaína é o principal composto psicodélico proveniente do país da África, sendo o mais importante, principalmente como um remédio para parar de usar drogas.

Extraindo os alcaloides do caule da raiz da iboga, obtém-se o hidrocloreto de ibogaína. Na ciência, esta substância recebeu uma denominação química de 12-metoxibogamina, sendo classificada como inibidor da colinaesterase, que é uma enzima estimulante que age no o sistema nervoso central.

A iboga apresenta uma estrutura nuclear composta de dois anéis indólicos, uma estrutura que se apresenta bastante comum na maior parte das substâncias alucinógenas.

Quando a esta substância é utilizada em pequenas doses, da mesma forma que os nativos da Cordilheira dos Andes utiliza também as folhas da coca, de onde se extrai a cocaína (pó), a ibogaína simplesmente mantem as pessoas despertas e em estado de alerta.

Dessa maneira, os nativos da África a utilizavam para fazer viagens mais longas de canoa, ou até mesmo realizar caçadas, que podiam durar muitos dias.

Os nativos também acreditam que a raiz da planta da Ibogaína possui diversas propriedades afrodisíacas, usando seus frutos, de cor laranja-amarelados, do tamanho das azeitonas, para tratar também de problemas de esterilidade nas mulheres e até mesmo de impotência sexual nos homens você acredita!?

Entretanto, em maiores doses, da mesma forma que a folha da coca quando é transformada em cocaína, a raiz da ibogaína apresenta efeitos altamente alucinógenos, embora sendo bem diferentes das drogas ilícitas que invadiram a sociedade no mundo todo nos últimos anos.

A iboga, quando usada como um remédio para parar de usar drogas, provoca náuseas e vômitos, agindo como o peiote, que é bem parecido também com o chá do santo daime.

O dependente que usa a ibogaína entra num estado de transe profundo, de forma bem intensa, não conseguindo fazer movimento algum físico, passando por um transe visual, que se manifesta como se fosse uma longa viagem astral.

De uma maneira geral, de acordo com diversos relatos de diversos pacientes tratados com esse remédio para parar de usar drogas, a ação da ibogaína pode ser dividida também em três partes:

Sonhos

A primeira fase, o paciente passa por um período que pode variar entre quatro horas e meia a seis horas, vivendo uma situação semelhante a de um sonho, um tempo em que vivenciam apresentações visuais, além de pensamentos relacionados com sua vida passada.

Cognitivo / Intelectual

A segunda parte é um período que os pesquisadores consideram como cognitivo / intelectual, quando todas as experiências da fase anterior já foram avaliadas, levando a pessoa a tomar consciência das consequências que tiveram durante e depois do uso de drogas / álcool.

Sono profundo

Na terceira fase, a pessoa passa por um período chamado de estímulo residual, que, na maior parte dos casos, termina em um sono profundo.

Quando o paciente acorda geralmente, nota-se que ele não sente mais aquele desejo de usar drogas ou de procurar a droga ou as drogas de que estava viciado. Essa situação, entretanto, não é comum a todos os que usaram o remédio da Ibogaína para parar de usar drogas, havendo diversas respostas diferentes para o tratamento, segundo as características de cada paciente tratado com a planta. No entanto, pelo menos aproximadamente 69% deles não apresentaram qualquer tipo de vontade de usar drogas novamente.

Alguns pacientes relataram que as visões que eles tiveram causadas pela ibogaína apresentam muitos detalhes pessoais, com emoções pelas quais eles já passaram e que retornam vividamente. Ao que parece, o artifício simbólico, analisado pelos médicos psicólogos, é a dissimulação de diversos problemas pessoais que se tornam coletivos, geralmente envolvendo alguns enredos políticos ou ecológicos, fazendo com que a pessoa imagine que, usando drogas, pode estar ameaçando o planeta todo, e não sua própria vida, o paciente geralmente para de olhar para si próprio e enxerga este mal que está causando até mesmo para as pessoas mais próximas como na realidade acontece.

Veja também:

14 OPÇÕES DE CLÍNICAS DE REABILITAÇÃO DROGAS SP – CLÍNICAS DE RECUPERAÇÃO EM SP

Como o Familiar Pode Proceder Ao Lidar Com um Dependente Químico ou alcoólatra

Remédio para parar de usar drogas – Iboga
Vote