Tratamento Para Mulheres (Dependência Química E Alcoolismo)

Um dos maiores problemas que as mulheres de hoje enfrentam no Brasil é a Dependência Química e o alcoolismo. E esse é um problema mundial, que já se espalhou por todo o mundo e principalmente no Brasil presente em todos os países e todos os lugares, seja em capitais, regiões metropolitanas ou cidades do interior. A sociedade respira esse mal em todos os aspectos que se possa imaginar e cada vez mais mulheres se perdem no mundo das Drogas.

O que há de mais grave nisso é que cada vez mais cedo as mulheres do nosso país têm o primeiro contato com as drogas e principalmente com o Álcool.

DEPENDÊNCIA QUÍMICA (AS DROGAS)

A Dependência Química é a falta de controle que o  indivíduo tem no consumo de substâncias psicoativas, ou seja, qualquer substância que altere seu comportamento, independente serem de origem natural ou química, como a cocaína, crack, heroína, maconha ou o álcool.

Sendo uma doença crônica e considerada um transtorno mental, a dependência química comumente atinge indivíduos que fazem uso constante de determinadas drogas ou álcool. O dependente químico ou o alcoólatra acaba por não mais conter a sua vontade de consumo, afetando sua vida inteira na parte  psíquica, emocional, física e social, consequentemente, afetando também seus amigos e familiares.

DEPENDÊNCIA QUÍMICA E MULHERES NO BRASIL

A situação vivida aqui no Brasil pelas mulheres é aterrorizante. O número demulheres que afirmam já terem experimentado algum tipo de entorpecente, seja álcool ou drogas é altíssimo e os que afirmam fazerem uso com regularidade apenas aumenta a cada dia. A sociedade brasileira sofre as mazelas de um mal que cresce a cada dia e que infelizmente parece não ter fim.

Segundo a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), pelo menos 28,1 milhões de pessoas no Brasil têm algum familiar que é dependente químico. Pesquisadores estimam que 5,8% dos brasileiros sejam dependentes de drogas como, Maconha, Cocaína, Crack, LSD, Ecstacy, além da ingestão compulsiva de bebidas alcoólicas desde a infância, índice que representa mais de 8,1 milhões de pessoas.

SINTOMAS DE UMA DEPENDENTE DE DROGAS

“Não é muito difícil reconhecer um dependente químico pelos sintomas que ele apresenta, porém, o que realmente é uma missão difícil de executar é fazer com que o próprio dependente químico ou o alcoólatra  reconheça que está sofrendo desse mal e que precisa de tratamento o mais rápido o possível pois a tendência é só piorar até o isolamento, degradação e podendo levar a morte facilmente.”
— Andrey Lippelt – Diretor Capital Remoções

Os principais sintomas desenvolvidos por um dependente químico são:

  • Indisciplina;
  • Irritabilidade;
  • Impaciência;
  • Desonestidade;
  • Descontrole financeiro;
  • Venda de objetos pessoais;
  • Pequenos furtos;
  • Intolerância;
  • Depressão;
  • Frustração;
  • Exaustão;
  • Autopiedade.
  • Racionalização
  • Isolamento
  • Desleixo
  • Negação
  • Justificação
  • Perda de controle
  • Culpa
  • Vergonha

Quando desenvolvem esses sintomas (todos ou em parte) é sinal de que a pessoa já precisa de intervenção e tratamento imediato. Se assim não for feito, com toda a certeza haverão desdobramentos terríveis no futuro.

COMO É O TRATAMENTO FEMININO PARA DEPENDENTES QUÍMICOS

tratamento da dependência química em SP deve ser feito mediante internação em clínicas de recuperação  qualificadas e legalizadas que atenda mulheres, onde o dependente possa desfrutar de acompanhamento especializado para se livrar do uso das drogas.

Capital Remoções – Clínicas de Reabilitação em SP

Durante todo o período de tratamento, o dependente químico ou a alcoólatra desenvolve atividades individuais e coletivas, é acompanhado por psicólogos, psiquiatras, e até educadores espirituais, que o ajudará na conscientização e construção de uma nova vida sem as drogas, estando apto, no final do tratamento, para retornar à sociedade e o convívio familiar praticando uma nova maneira de viver.

Nosso tratamento da dependência química em SP tem como foco a raiz do problema, não tratando de forma superficial o uso das drogas e alcoolismo. Diversos fatores impulsionaram o dependente ao consumo de drogas e álcool, como: problemas familiares, emocionais, sentimentais, psicológicos, profissionais e até mesmo a influência de más companhias, desta maneira, alcançamos o objetivo proposto, de resgatar a qualidade de vida do paciente para manter uma vida com qualidade e bem estar.

Hospital Terapêutico Capital Remoções realiza tratamentos nesses moldes para dependentes químicos e alcoolistas, um tratamento comprovadamente eficaz que foi desenvolvido com base em sua própria experiência e resultados ao longo dos anos, sempre prezando o bem-estar e cuidando de cada paciente de forma individual.

INTERNAÇÃO PARA MULHERES DEPENDENTES DE DROGAS

internação em clínicas de reabilitação para mulheres deve sempre acontecer de modo que proporcione ao dependente químico conhecer os mecanismos que deve utilizar para se libertar do consumo das drogas. No Hospital Terapêutico da Capital Remoções, oferecemos os serviços de Internação Voluntária e Internação Involuntária e todo o conforto para nossos internos se recuperarem rapidamente, da melhor maneira possível e com tratamento adequado.

Nossas excelentes acomodações e estruturas, um acompanhamento personalizado para cada interno, profissionais qualificados de altíssimo nível e um programa de 12 passos de tratamento, proporcionam a melhor experiência aos nossos pacientes resultando em  um tratamento adequado e seguro.

CONFORTO E SEGURANÇA

Com unidades localizadas em pontos estratégicos e seguros para proporcionar ao paciente um tratamento seguro, com conforto e segurança garantido satisfação total para as famílias e para os internos (pacientes).

Para Internaçao Involuntária feminina, o Hospital Terapêutico Grupo Capital Remoções, possui uma equipe de profissionais para realização de Resgate 24 horas de dependentes químicos e alcoolistas.

você sabia?

Aumenta a cada dia número de dependentes químicos no mundo

Com o Ressurgimento da heroína, sobretudo nos Estados Unidos e na Europa, é o principal fator para primeiro incremento registrado em seis anos. Em 2014, quase 250 milhões de pessoas consumiram ao menos um tipo de droga no mundo.

O número de dependentes químicos e alcoólatras no mundo aumentou pela primeira vez em seis anos, aponta um relatório divulgado pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (UNODC) em uma quinta-feira (23/06).

A quantidade de dependentes passou de 27 milhões em 2013 para 29 milhões em 2014 e vem aumentando cada vez mais rápido. O crescimento se deve, principalmente, ao ressurgimento da heroína como uma droga bem popular. Segundo especialistas, a droga se tornou uma epidemia nos Estados Unidos. Na Europa, também foi registrado um aumento no consumo.

“A heroína continua sendo a droga que mais mata pessoas no mundo, e seu ressurgimento deve ser abordado com urgência”, afirmou o diretor da UNODC, Yuri Fedotov.

O número de usuários de heroína nos Estados Unidos chegou a cerca de 1,1 milhão, o maior já registrado em 20 anos. Desde 2000, as mortes relacionadas à droga quintuplicaram no país!

Segundo a agência da ONU, o ressurgimento da heroína nos EUA pode estar relacionado a uma mudança na legislação que dificultou o consumo de outros opiáceos e à facilidade de acesso a esse tipo de entorpecente no mercado negro, além de seu baixo valor de venda.

A UNODC também alertou que os primeiros sinais do ressurgimento da heroína já são observados na Europa, principalmente na França, Alemanha e Itália.

A Maconha é a droga mais usada no mundo todo.

Em todo mundo, 208 mil pessoas morreram devido ao consumo de drogas em 2014. A taxa de mortalidade é 15 vezes maior entre consumidores de drogas injetáveis do que entre não usuários na mesma faixa etária.

O relatório anual sobre drogas alertou que a injeção de heroína ou outros opiáceos representa um risco elevado à saúde não só por overdoses, mas também devido ao contágio de doenças com a aids e a hepatite C. Entre os 12 milhões de usuários de drogas injetáveis, 14% são portadores do vírus HIV.

O relatório aponta ainda que quase 251 milhões de pessoas entre 14 e 65 anos consumiram pelo menos um tipo de droga em 2014. A maconha continua sendo a substância ilegal mais usada no mundo, com 184 milhões de consumidores, seguida de drogas sintéticas, incluindo anfetaminas e ecstasy, com 55,1 milhões.

Embora um terço dos usuários de drogas sejam mulheres, entre as pessoas em tratamento da dependência química apenas uma em cada cinco é de sexo feminino. Esse número mostra também que o acesso a esse tipo de terapia é mais restrito para as mulheres.

Para ter acesso a tratamentos para dependência química pode contar com a Capital Remoções.

Tratamento para mulheres
5 (100%) 1 vote