trtamento da maconha e outras drogas

Clinica de reabilitação em SP – A MACONHA

A maconha – clínica de recuperação em São Paulo

Você também pode gostar:

Tratamento da Maconha – Para dependentes químicos SP

Maconha

Maconha é sobretudo uma droga feita à base de uma planta chamada cannabis sativa, é muito utilizada por todos os países do

mundo, apesar de ser uma droga ilícita.

É , portanto, a droga ilícita mais consumida, sem dúvida nenhuma no planeta, seus

efeitos, apesar de todavia não serem tão graves quanto aos das outras drogas

consumidas no mundo, tem, contudo, um alto poder viciante e pode servir de gatilho para a utilização de outras substâncias químicas ilícitas.

Quando comparada as outras drogas em geral, de fato, ela perde apenas para o cigarro em questão de consumo.

A Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas, em sua cartilha sobre

maconha, cocaína e inalantes, portanto, afirma que no ano de 2005, a cada 100 brasileiros, pelo menos

9 já haviam sobretudo consumido esta droga pelo menos alguma vez na vida, é algo para se prestar atenção.

Geralmente as pessoas que mais consomem a maconha são jovens que estão entre a faixa etária de 18 e 25 anos.

Existem também muitas pessoas mais velhas que consomem a cannabis sativa, é uma droga muito popular.

É muito comum em faculdades ou em lugares que reúnem grupos de jovens haver um consumo indiscriminado

da cannabis sativa, muitos adolescentes acabam experimentando essa droga para se sentirem

incluídos em determinado grupo, ou mesmo por interesse e curiosidade.

Grandes praças de centros urbanos nos últimos anos tem se tornado ponto de encontro para utilização desta droga.

Clinica de reabilitação em SP – A MACONHA

Muitas substâncias que agem no nosso organismo são encontradas na folha de cannabis sativa,

essa planta apresenta uma gama de substâncias químicas, algumas delas com propriedades e efeitos medicinais.

Há uma estimativa de que a Cannabis sativa apresente em sua composição cerca de 400 componentes,

e desse número total, 60 deles são considerados canabinoides.

Esse nome, canabinoides, é uma classificação química dada ao fato de que esses componentes possuem

22 átomos de carbono em suas moléculas, outros grupos químicos fazem parte da composição dos canabinoides,

os chamados ácidos carboxílicos e os possíveis produtos finais da transformação da substância.

Os canabinoides, apesar de fazerem parte da composição de uma droga ilícita, são utilizados de forma t

erapêutica, porém, o uso dessas substâncias é controverso e muito discutido no meio científico e acadêmico.

Uso de canabinoides em aplicações terapêuticas ainda é muito discutido devido ao seus efeitos

psicotrópicos, ou seja ele age diretamente no sistema nervoso central, alterando toda a função fisiológica do local, as percepções de realidade, o

humor,o comportamento da pessoa e sua consciência ficam alterados durante o período de ação desse componente químico, efeitos psicotrópicos

são as principais consequências da utilização de uma droga psicoativa.

O efeito em si gerado pela utilização de uma substância química varia de droga para droga,

algumas tem efeitos estimulantes, onde a euforia toma conta da pessoa que a usa; outras tem efeito calmante,

diminuem o estresse e a ansiedade da pessoa, as fazendo ter a sensação de relaxamento.

Tratamentos – Maconha

SAIBA MAIS SOBRE A MACONHA

Entre as aplicações terapêuticas que podem ser incumbidas aos canabinoides, podem ser destacados

o controle sobre a náusea em pacientes que estão passando por quimioterapia, podem ser utilizadas também

como analgésicos, como estimulantes de apetite, para tratar glaucoma.

Há também efeitos broncodilatadores, usado em alguns pacientes portadores de asma.

Portadores de epilepsia também podem se beneficiar pelo uso desta substância.

Dentre os canabinoides podemos citar o tetrahidrocanabinol, popularmente conhecido como THC; o canabidiol, CBD; o canabinol, CBN;

cannabigerol, CBG; o ácido tetrahidrocanabinolico, THCA; taetrahidrocanabivarina,

THCV; e a canabivarina, CBDV.

A maioria destas substâncias são psicoativos e agem no sistema nervoso central alterando as funções do cérebro.

Apesar de haverem muitos canabinoides na composição de uma cannabis sativa, apenas

dois são mais estudados seriamente pela comunidade científica, pelo fato de serem os mais encontrados na planta. Esses dois são o canabidiol, ou

CBD e o tetrahidrocanabinol, ou THC, os dois possuem a mesma estrutura molecular, e com algumas

diferenças em relação a organização atômica, fazendo com que suas propriedades mudem consideravelmente.

Clinica de reabilitação em SP – A MACONHA

Clinica de reabilitação em SP - A MACONHA
Clinica de reabilitação em SP – A MACONHA

O canabidiol sobretudo não possui ação intoxicante, não provoca alteração nas percepções de realidade,

é considerado um analgésico anti-inflamatório e antioxidante, reduz os sintomas de ansiedade; já o tetrahidrocanabinol

possui ampla atuação na parte psicoativa, está relacionado a sensações de

bem-estar e euforia, possui também a capacidade enorme de aumentar o

apetite da pessoa que consome a substância, é fortemente sedativo e analgésico.

Apesar de potenciais consequências terapêuticas, sobretudo, os canabinoides podem de fato causar efeitos

colaterais após o término dos efeitos padrões, muitas pessoas relatam quadro de ansiedade, depressão, e sobretudo o aumento da

frequência cardíaca e perda de memória, contudo,

após o fim destes efeitos, por esse motivo muitos cientistas e profissionais da área

são contudo contra a utilização dos canabinoides como método de terapia, o efeito rebote pode ser mais grave do que o efeito padrão.

O uso da maconha como droga sobretudo pode desencadear muitos efeitos colaterais, apesar da sensação de bem-estar

e, sobretudo, relaxamento durante o uso, vários fatores podem influenciar no aparecimento de graves efeitos após

o fim da “brisa”,

Doses de segurança?

Dependendo da quantidade de maconha utilizada, contudo da estabilidade emocional da pessoa,

,do uso associado da maconha outro tipo de substância química como

cocaína, crack, êxtase ou heroína poderão aparecer efeitos rebote mais graves ou mais amenos.

A pessoa que é propensa , no entanto, a se tornar um dependente químico provavelmente

possui contudo, problemas com seus familiares e/ou instabilidade emocional, é portanto,

preciso procurar de fato uma forma de tentar controlar o emocional da pessoa, seja através

de tratamento psicológico, terapêutico ou de outros métodos.

Vamos enfatizar mais alguns desses efeitos maléficos que a maconha pode desencadear

em quem a consome, são eles:

  • paranoia,
  • pânico,
  • sentidos aguçados,
  • diminuição da capacidade motora do indivíduo,
  • falta de atenção,
  • perda de memória,
  • aumento das chances de aparecimento de sintomas psicóticos,
  • muito medo e ansiedade.

O que podemos perceber? Clinica de reabilitação em SP – A MACONHA

maconha existe doses de segurança?
Tratamento da maconha

Contudo, podemos perceber, sobretudo, que os principais efeitos da maconha são passageiros,

mas o que vem a seguir é muito ruim e prejudicial à saúde física e mental

do usuário, não subestime a droga pelo fato dela apresentar efeitos padrões relaxantes.

É preciso, todavia, tomar muito cuidado com o uso da maconha em mulheres grávidas, as substâncias contidas

nelas podem ser prejudiciais ao feto, atrapalhando e prejudicando o desenvolvimento normal do bebê.

Apesar desses malefícios, a maconha é sobretudo a droga mais utilizada por mulheres grávidas no mundo,

estudos indicam todavia que o uso da cannabis sativa como droga durante a gravidez pode provocar problemas como, anencefalia, malformações e

problemas de ordem cognitiva no bebê.

Não é todavia, apenas no bebê que esses danos cognitivos são vistos, em usuários adultos a maconha age diretamente

dificultando sobretudo a área do cérebro relacionada a percepção e a lógica, déficit de atenção e memória a curto prazo

são recorrentes em consumidores crônicos de cannabis sativa

Para entender também que o uso crônico da maconha pode afetar de maneira negativa

a todo o sistema respiratório, problemas respiratórios são comuns em pessoas que fumam muito esta substância, aliás, não podemos nos esquecer

que se trata de um cigarro, e, sobretudo, a fumaça inalada vai diretamente para os pulmões. As chances do

paciente que é dependente químico em maconha desenvolver câncer são maiores do que em

pessoas que de fato não a consomem; indivíduos que usam a maconha de forma excessiva

tendem a apresentar deficiência no seu sistema imunológico,

tornando-se contudo vulneráveis a diversas infecções por vírus e bactérias, algo muito perigoso ,

principalmente nos dias atuais em que estamos vivendo

uma pandemia deu um vírus que surgiu recentemente, o coronavirus, causador da covid-19.

A maconha sobretudo também pode estar diretamente relacionada ao aparecimento de sintomas de esquizofrenia, alguns estudiosos publicaram trabalhos

quem enfocam que o uso regular da cannabis sativa aumenta potencialmente o risco para desenvolvimento de transtornos mentais, e a

esquizofrenia é o mais comum deles em pacientes consumidores de maconha.

Quanto mais jovem portanto, mo indivíduo iniciar o uso da cannabis sativa e se ele usar por um longo

período em sua vida maiores serão os efeitos deletérios da droga no seu

organismo, ainda não se sabe se a interrupção do uso da maconha após um

longo período de consumo irá fazer com que o organismo restabeleça seu equilíbrio encontrado antes do uso crônico da cannabis.

A maconha todavia, pode sim causar dependência química se o período de exposição aos canabinoides for longo, portanto é preciso tomar muito

cuidado, sintomas de abstinência são vistos em pessoas que rompem bruscamente o uso da maconha, dessa forma ela pode ser considerada uma

droga que vicia, portanto, apesar de não apresentar o mesmo grau de dependência que outras

drogas possuem, como o crack, a cocaína e a heroína.

Existem portanto, clínicas de reabilitação para dependentes químicos que tratam pacientes

usuários de maconha de forma excessiva e crônica, a maioria das

pessoas que sobretudo consomem muita maconha geralmente consomem outras drogas associadas, as mais comuns são a cocaína e o crack. Muitos

indivíduos utilizam a maconha como forma de cortar os efeitos estimulantes da cocaína e do crack.

Portanto seja qual for a substância química que a pessoa consome, procure ajuda, tente entender

como funcionam, todavia, as clínicas de reabilitação para dependentes químicos.